fbpx

O ativo de hoje vem diretamente de uma planta nativa australiana: o óleo de Melaleuca, ou tea tree oil. É um óleo essencial com mais de 100 componentes e diversas propriedades interessantes para a dermatologia. Confira algumas:

  • Ação antioxidante;
  • Atividade antimicrobiana contra fungos (como a Cândida e a Malassezia – o fungo da caspa e do pano branco), bactérias (como as da pele e da cavidade oral), vírus (como o Herpes e HPV) e parasitas;
  • Atividade anti-inflamatória: reduz mediadores inflamatórios e ajuda em doenças imunoiflamatórias da pele;
  • Ajuda na cicatrização de feridas;
  • Auxilia no combate à acne, oleosidade e caspa do rosto e do couro cabeludo (a dermatite seborréica);
  • Na forma de bochechos, pode ajudar no tratamento da gengivite crônica.

Entretanto, ainda precisamos de mais estudos para estabelecer a melhor maneira de utilizá-lo nos tratamentos e como incluí-lo em preparações dermatológicas. E vale lembrar: o óleo de Melaleuca puro pode causar irritações e, em altas concentrações, pode ser irritante e causar dermatites, alergias e hipersensibilidades sistêmicas. O ideal é sempre começar com concentrações menores e dar preferência produtos industrializados bem formulados que já contenham o ativo.

Dúvidas? Converse sempre com seu Dermato de confiança!

Leave a Reply

Pin It on Pinterest