fbpx

Pessoal, estudos recentes mostram pacientes que tiveram a COVID-19  tem queda de cabelo após a infecção, em cerca de 30% dos casos. Tenho recebido também no consultório muitos pacientes desesperados com a quantidade da queda depois de terem contraído a doença. Muitos trazem bolos de cabelo ou me mostram foto da quantidade de fios que cai diariamente, e realmente em muitos casos ela é realmente assustadora.

Esse tipo de queda é chamada de EFLÚVIO TELÓGENO, uma das causas mais frequentes de queda, que ocorre após vários estímulos como infecções (como COVID, dengue…), cirurgias, estresse, problemas de tireoide, deficiência de vitaminas, pós-parto, perda de peso e dietas restritivas, troca ou suspensão de anticoncepcional etc.

O que ocorre é que após 3 a 4 meses de algum desses gatilhos, o ciclo do fio muda e ele é forçado a passar antes da hora para a fase de repouso e, depois, para a fase de QUEDA. O cabelo então cai da raiz, e podemos ver redução importante do volume dos fios.

No caso da COVID-19, tenho visto essa queda mais precocemente, às vezes antes de um mês de doença! Casos mais graves e que precisaram de internação possuem maior chance de sofrer com o eflúvio.

A boa notícia é que ela é reversível e melhora após cerca de 3 a 6 meses, quando o fio volta para a fase de crescimento. Porém, se o paciente já tem alguma queda de base ou tendência a calvície, por exemplo, a recuperação pode ser mais lenta ou incompleta. Portanto, converse com seu dermato se você está sofrendo de qeuda pós-COVID para que ele te avalie, veja a necessidade de exame de sangue, faça o exame dos fios e do couro cabeludo e te ajuda a passar por essa fase da melhor maneira.

Leave a Reply

Pin It on Pinterest